Realmente

A tempestade espanta. Entretanto, acentuar-nos-á a resistência se soubermos recebê-la.

*

A dor dilacera. Mas aperfeiçoar-nos-á o coração, se buscarmos aproveitá-la.

*

A incompreensão dói. Contudo, oferece-nos excelente oportunidade de compreender.

*

A luta perturba. Todavia, será portadora de incalculáveis benefícios, se lhe aceitarmos o concurso.

*

O desespero destrói. Diante dele, porém, encontramos ensejo de cultivar a serenidade.

*

O ódio enegrece. No entanto, descortina bendito horizonte à revelação do amor.

*

A aflição esmaga. Abre-nos, todavia, as portas da ação consoladora.

*

O choque assombra. Nele, contudo, encontraremos abençoada renovação.

*

A prova tortura. Sem ela, entretanto, é impossível a aprendizagem.

*

O obstáculo aborrece. Temos nele, porém, legítimo produtor de elevação e capacidade.

XAVIER, Francisco Cândido. Agenda Cristã. Pelo Espírito André Luiz. FEB. Capítulo 13. Edição de Bolso.