Conseqüências do Aborto para os Envolvidos

CONSEQÜÊNCIAS INFELIZES PARA A MULHER QUE COMETE O ABORTO

A mulher que cometeu aborto delituoso passa a sofrer conseqüências desagradáveis imediatas em seu próprio organismo, seja pelo surgimento de enfermidades variadas ou pelos processos sombrios da obsessão, em virtude da antipatia nascida no Espírito reencarnante, que vê seu tentame frustrado. (...) (...) As conseqüências imediatas ou a longo prazo virão sempre, para reajustar, reeducar e reconciliar os Espíritos endividados, mas toda cobrança da Justiça Divina tem o seu tempo certo. (Walter Barcelos – Sexo e Evolução)

Mães que no plano espiritual ou ainda nesta vida penetram em angustias indefiníveis, presas a consultórios psiquiátricos por desajustes do centro coronário, ao retornar ao plano espiritual, apesar da assistência dos benfeitores, sentem-se diminuídas moralmente perante si mesmas. Voltam, na próxima vida física, com o centro genésico (chacra) atonizado, padecendo de toxemias gravídicas - as eclampsias. Possuem, por defeito deste chacra que vibra de forma desarmônica, uma trompa uterina com células ciliadas sem a possibilidade de conduzirem o óvulo fecundado para o útero. E, o ovo permanece na trompa, gerando a gravidez tubária que determina aborto "espontâneo", ocasionado, como vimos pela sua atitude pretérita de aborto provocado. Muitas outras patologias placentárias, ovarianas e uterinas podem decorrer de abortos em encarnações anteriores. Algumas mães que abortaram o quarto filho no passado gravam no perispírito este fato, e a gravação se registra também em tempo. Nesta vida, com fator sangüíneo RH negativo, perdem seu quarto filho pelo aborto. (André Luiz – Evolução em Dois Mundos, 2ª parte, cap. XIV)

EFEITOS IMEDIATOS DO ABORTO

As conseqüências imediatas do aborto delituoso logicamente se refletem, primeiro e em maior grau, no organismo fisiopsicossomático da mulher, pois abortar é arrancar violentamente um ser vivo do claustro materno.

O centro genésico, que é o santuário das energias criadoras do sexo e tem sua contraparte na organização perispiritual da mulher, com a prática do aborto condenável sofre desequilíbrios profundos, ainda desconhecidos da ciência terrena. (...)

ENFERMIDADES IRREVERSÍVEIS NA PRÓXIMA ENCARNAÇÃO

Para a mulher que praticou o aborto, injustificadamente, os sofrimentos continuarão na próxima encarnação, através dos desequilíbrios psíquicos diversos, enfermidades do útero e a grande frustração pela impossibilidade de gerar filhos. Mesmo a mulher que praticou o aborto, após já ter concebido o primeiro ou o segundo filho, receberá, na próxima encarnação, os sintomas perturbatórios de seu crime, justamente depois do primeiro ou do segundo filho, período exato em que praticou o aborto na existência anterior.

Diversos problemas que sofrem hoje as mulheres no exercício da maternidade têm suas causas profundas nos deslizes do passado, que hoje surgem no corpo físico como reflexo positivo da desorganização perispirítica.

Em razão disso, nem sempre a mulher recupera a saúde, afetada por esses transtornos, somente com o uso de medicamentos e hábeis cirurgias da medicina terrestre, pois há que resgatar em si mesma, à custa de muitos sofrimentos, suportados com fé e abnegação, os crimes do ontem, para aprender a valorizar, respeitar e amparar a vida dos filhos que Deus temporariamente lhe entrega nas mãos. (Walter Barcelos – Sexo e Evolução)

PARA O PAI

Há a absorção das vibrações de angústia e desespero, e por vezes de vingança, do espírito que a lei lhe reservara para filho do próprio sangue, na obra de restauração do destino. Ocorre o desajuste das energias psicossomáticas com mais penetrante desequilíbrio do centro genésico, implantando no perispírito do pai as sementes que germinarão na existência imediata. No próximo corpo, sobreviverão moléstias testiculares ou distúrbios hormonais, agravados freqüentemente com a obsessão do espírito reencarnante, quando este for de nível espiritual mais necessitado. (André Luiz – Evolução em Dois Mundos, 2ª parte, cap. XIV)

PARA O ESPÍRITO REENCARNANTE

Nos casos mais freqüentes, o espírito toma-se de profundo desgosto pela perda da oportunidade. Muitas vezes, foi vítima ou algoz dos pais e nesta oportunidade estava procurando, com o incansável trabalho dos mentores espirituais, reaproximar-se daqueles que no pretérito foram seus inimigos. A máxima do Senhor Jesus - "Amai os vossos inimigos", iria ser cumprida e a mãe iria acariciá-lo ao colo, dizendo "como te amo, meu filho..." Tudo desfeito, tudo destruído, um longo preparo espiritual, e o amor novamente convertido em ódio pelo espírito expulso irá, em muitos casos, atrasá-lo por longo tempo. É verdade que em muitos casos o espírito mais evoluído supera a situação, mas também não é rara a obsessão dos pais por parte daquele que seria o elo de amor entre eles, caso a gravidez não fosse interrompida. (André Luiz – Evolução em Dois Mundos, 2ª parte, cap. XIV)

PARA TERCEIROS

A Justiça Divina não atinge apenas àquela que provoca o aborto. Também serão passíveis de culpa, e dos conseqüentes débitos, os que se envolvem direta ou indiretamente com o ato (familiares que o sugerem ou apóiam e profissionais que o realizam). Nesse caso, quem o pratica está, quase sempre, arrastando consigo outros irmãos para o erro. (André Luiz – Evolução em Dois Mundos, 2ª parte, cap. XIV)

Todos os que cooperam nos delitos do aborto, tanto quanto os ginecologistas que o favorecem, vêm a sofrer os resultados da crueldade que praticam, atraindo sobre as próprias cabeças os sofrimentos e os desesperos das vítimas, relegadas por eles aos percalços e sombras da vida espiritual de esferas inferiores. (Leis de Amor – Emmanuel)

Apostila Aborto. CEFAK - Centro Espírita Fraternidade Allan Kardec.